domingo, 23 de fevereiro de 2014

Será que ainda vale a pena fazer medicina na Bolívia?


O sonho de ser médico, quando se fala em profissão, é provavelmente o mais comum em qualquer parte do mundo. E no Brasil não é diferente.

Havia pouco tempo (talvez menos de uma década), fazer medicina no Brasil era tarefa para poucos. Alguns afortunados financeiramente e outros abnegados, dispostos a ultrapassar barreiras dificílimas, eram os escolhidos. Vestibular para universidades públicas eram reservadas à minoria e as vagas das particulares se destinavam àqueles que poderiam pagar 3 mil reais ao mês, no mínimo.

 No mesmo período, lá no início dos anos 2000, houve um boom na busca por cursos da área da saúde e, àqueles que podiam, medicina; os que não podiam, enfermagem, fisioterapia, nutrição e etc. Também nesse período, coincidindo com o valor do Real muito próximo ao do dólar, houve uma crescente (muito crescente) busca por cursos fora do Brasil, principalmente nos países vizinhos, cuja moeda mais fraca e os custos menores, passaram a atrair cada vez mais jovens (e não tão jovens assim) brasileiros em busca da tão sonhada realização.

Ser médico não é para qualquer um. Ao menos, um bom médico; um médico, digamos assim, razoável, não se forma em qualquer lugar. Não basta ter acesso a um curso de medicina, como pensam alguns, que se pode formar médicos. Há, sim, necessidade de seleção e, no Brasil, ela existe, nos países vizinhos, o acesso é livre. Mas o cenário mudou. Hoje temos, no Brasil, algumas oportunidades que havia pouco tempo, não existia; acesso aos cursos de medicina por pessoas que não são afortunadamente endinheiradas. ENEM com o PROUNI, FIES e outros financiamentos e até cotas raciais (sem querer entrar no mérito da questão).

Por outro lado, o cenário nos países vizinhos também mudou. Mudou drasticamente, aliás. Lembra que o Real era moeda forte? Já não é mais. Se esse fator, o principal dentre aqueles que trazia tantos brasileiros para países como Argentina, Paraguai, Bolívia e Cuba perdeu seu encanto, soma-se a isso outros fatores desfavoráveis como o aumento exagerado dos preços (a mensalidade em algumas faculdades de medicina de Santa Cruz de la Sierra, BO, subiu mais de 70%); surgiram taxas, multas exageradas e o que se sente é quase uma perseguição aos tantos estudantes de medicina destes lugares. Falando propriamente da Bolívia, a sensação de perseguição é tão grande que o que se vê é a diminuição no número de brasileiros.

Pretendo mesmo é falar exclusivamente da Bolívia, de Santa Cruz (onde me propus estudar). Em menos de 3 anos, com 1 Real, você comprava mais de 4 bolivianos (estou falando da moeda e não dos cidadãos; se bem que aqui algumas pessoas são tão compráveis que, sei lá...), hoje, você compra 1.80; Na prática, você precisa de mais do que o dobro para viver aqui hoje (2015) do que há 3 anos atras, sem contar a inflação.

Em Santa Cruz tem a Universidade Ecológica que cobra multa até de pensamento. Hoje, caso queira fazer alguma matéria atrasada, terá de pagar mais de 300 bolivianos só para ter o direito de fazer (um direito que já é seu!!!) (isso, aqui na Bolívia, é muito dinheiro). As reclamações na UCEBOL e UDABOL são semelhantes.

O que se viu no final de 2013 foi a transferência em massa de alunos da Ecológica (e da UDABOL) para o Paraguai. Se fala até de 200 alunos só da Ecológica.

Alguns números 

O brasileiro traz mensalmente cerca de 30 milhões de reais somente para Santa Cruz; movimenta a economia, abre negócios, trabalha, estuda e é tratado como lixo aonde vai (raríssimas exceções). Os bolivianos em São Paulo (cerca de 300 mil. Analogicamente, de cada 8 cidadãos de Santa Cruz, 1 está em SP)  são explorados nas confecções por outros bolivianos ou coreanos e sabem o que as autoridades brasileiras fazem quando descobrem? Fazem as empresas pagarem altíssimas multas a esses trabalhadores bolivianos e ainda ajudam a se legalizar (Não acredita? Clique aqui!). Nenhuma autoridade paulista persegue estrangeiro boliviano e eles estão em toda parte; já aqui somos extorquidos todos os dias (leia assalto a brasileiros em Santa Cruz); em algumas lojas, até os preços dos produtos são mais caros, se somos brasileiros; se a polícia, a INTERPOL (que nada tem a ver com a INTERPOL, a polícia internacional) te pega na rua sem documento, te humilha e te manda para delegacia onde passa o dia inteiro tratado como criminoso (leia aqui "Abusos da Interpol"). Outro dia, num prédio onde só tem estudante brasileiro, essa tal Interpol invadiu os apartamentos sem nem mesmo mandado ou qualquer ordem judicial, humilhou os brasileiros gratuitamente. Em nenhum lugar do mundo essas coisas acontecem, nem mesmo nos EUA, onde as políticas de imigração são rígidas, acontece isso com brasileiro estudante.

As políticas locais desfavorecem a chegada de novos alunos, outros locais favorecem a transferência e a atração de novatos; e aqueles que já estudam na Bolívia estão desistindo ou procurando outros locais onde possam concluir seus estudos. E estão certos.

Sabe porque estão certos? Porque é incompreensível a incompetência local para fazer coisas básicas, como liberar um comprovante de formado ou um diploma em menos de 6 meses. Porque existe uma chamada “prova de grado” (de graduação) que é obrigatória a todos os formados, que não reprova ninguém, mas que demora no mínimo 6 meses para ser marcada; há casos de dois anos de espera.

Bom, minha resposta é previsível para a pergunta "se ainda vale a pena estudar na Bolívia". Havia pouco tempo, sim, era. Até o tratamento para com os brasileiros eram diferentes; hoje, na Bolívia, o estudante é tratado como lixo, sem direitos e poucas vantagens e vem sendo, a cada dia, mais explorado.

É minha opinião.

Não concorda? Comente, com educação, abaixo.
Reações:

13 comentários :

  1. lamentablemente ahy algunos que exageran no todo es como lo pinta este personaje es un mal agradecido con el pais q le dio la oportunidad de estudiar y superarse, no se va a negar q hay ciertas cosas q son realidad en este pais. el q deberia informarse bien de todas las cosas deberia ser el

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Este país de mierda no da a nadie la oportunidad de estudiar....YO PAGUÉ POR TODO, mientras estuve ahí. En cambio, bolivianos tienen derecho y acesso a salud, educación, derechos laborales y vacantes a plazas de residencia médica aqui en Brasil. Policías, autoridades, funcionários y dueños de universidad corruptos...el boliviano promédio es coimero y "todo es charlable". Cuando llegan acá en Brasil se hacen los pobrecitos.

      Excluir
  2. Ótima matéria. Consegui descrever a realidade. E parabéns pelo blog, excelente trabalho!

    ResponderExcluir
  3. Estudo na Bolívia devo muito a esse país e não sou nem um pouco mal agradecido mas tudo que li é verdade e se eu não estivesse no sétimo semestre já teria desistido. Você que é pai e pensa em trazer Seu filho para cá te dou um Conselho: não traga.

    ResponderExcluir
  4. A estudante desaparecida esta presa por tráfico de drogas na Turquia, algumas coisas são verdades, mas vc tambem precisa falar das varias quadrilhas de estudantes brasileiros presos, por assaltos e ASSASSINATOS, aqui, dos acertos de vontas entre estudantes com mortes, das desordens e arruaças nas baladas de sextas e sabados, no alto consumo de drogas pelos estudantes, fala TODA a verdade, e sabe isso tem solução, vai embora, vai tentar entrar numa faculdade no Brasil, ve se vc consegue passar no vestibular ? É feio cuspir no prato que vc comeu, vai embora....

    ResponderExcluir
  5. Tem o lado positivo e o negativo mas não li nenhuma mentira... Li uma crítica costrutiva, aceitar tudo calado e não reivindicar melhorias é que não dá, garanto tbm que a parcela de estudantes que se envolvem em crimes e os que não se envolvem (brasileiros) não chega nem a 5%. O acerto de contas que acabou em morte aqui em scz nda tem haver com estudos mas sim com tráfico de drogas senhor reneco tráfico esse que tem total complacência da Polícia boliviana e inclusive da Interpol. Querer continuar na mesmice e não lutar por direitos básicos é tão ruim ou pior do que isso que vc chama de cuspir no prato que comeu.

    ResponderExcluir
  6. É exatamente isso, nao tem nada aver com estudos, vem aqui ora traficar, agora essa acusação que a Policia Boliviana e a Interpol estao vinculadas ao trafico, é mujto seria e tem que ser denunciada e COMPROVADA, senak as leis sao muito claras enquanto a difamação, injuria e calunia, dá cana..... Se no Brasil a Policia fosse um exemplo de eficiencia e honestidade , concordo, mas vir aqui e reclamar, sem ter no seu pais, alguma coisa melhor, É sim CUSPIR no prato que come, volta pro Brasil e tenta entrar numa faculdade la, e aproveita e seja presa preso pela PM, depois volta e comenta aqui....... O melhor e voltar pra sua casa, se porque esta aqui ? Poruqe la nao tem o que vc esta encintrando aqui, portanto bico fechado, vai reivinducar na sua casa, aqui vc tem que respeitar as leis daqui. Voce sabe que como estrangeiro tu tem que ficar mukto quieto.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. "Reneco", realmente a moça foi presa por tráfico de drogas e não estava desaparecida, ou seja, a polícia local estava certa. Mas poderia não estar; não se dá uma resposta assim a um familiar sem antes excluir todas as possibilidades. Ainda bem que ela não foi raptada ou estuprada como já aconteceu com outras meninas.
      Outra coisa; já falei aqui de brasileiros arruaceiros e de traficantes de drogas, não precisava falar de novo, pois esta postagem foi exclusiva do assunto que estava tratando e não costumo ser tão repetitivo.
      Eu mesmo disse ja aqui que a polícia brasileira tb é deficiente, mas aqui eu falo de minhas experiências na Bolívia, em Santa Cruz e não do Brasil. Já disse antes, qualquer um poderia escrever um tratado de 2 mil páginas falando dos problemas brasileiros que ainda não caberia, mas o assunto aqui é outro, o assunto aqui é Bolívia e minhas experiências.
      Eu não estou cuspindo no prato que como; aliás, costumo falar muito mal do Brasil, do meu bairro, da minha rua e da minha casa; isso não quer dizer cuspo no prato que como, mas que tenho uma visão crítica das coisas, quer você concorde ou não.
      No mais, o restante dos seu comentários me parecem sem sentido (não sei se não entendi bem seu português ou não soube interpretar suas colocações) e nem vou entrar no mérito. Respeito suas opiniões e suas ideias... Até te recomendo criar um blog e expressá-las da forma como quiser, assim como eu fiz.

      Abraço.

      Excluir
  7. Doido é quem sai daqui para estudar nesses países. Hehehehehe. Mas fácil sentar a bunda na cadeira e estudar para passar na pública. Faculdades particulares são atalhos que nao valem a pena. Logicamente o padrão dos médicos estão caindo...

    ResponderExcluir
  8. Doido é quem sai daqui para estudar nesses países. Hehehehehe. Mas fácil sentar a bunda na cadeira e estudar para passar na pública. Faculdades particulares são atalhos que nao valem a pena. Logicamente o padrão dos médicos estão caindo...

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Me disponho a debater o assunto contigo quando quiser, mas precisa usar algum argumento. Chamar alguém de doido não se encaixa em argumento.

      Abraço.

      Excluir

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...